Investidores

Mercado de cripto: o que os dados nos dizem

13 de julho de 2022 | Atualizado 21 de setembro de 2022

O que são criptomoedas?

Criptomoeda é um sistema de pagamento digital que não depende de bancos para verificar e confirmar transações. É um sistema ponto a ponto que permite a qualquer pessoa enviar e receber pagamentos de qualquer lugar, digitalmente. Ao transferir fundos de criptomoeda, as transações são registradas em um livro contábil público. O ativo  é armazenado em carteiras digitais.

A criptomoeda tem esse nome porque usa o recurso de criptografia para verificar transações. Isso significa que uma codificação avançada está envolvida no armazenamento e na transmissão de dados  entre as carteiras e os livros contábeis públicos.

A primeira criptomoeda foi o Bitcoin,criada em 2009 e ainda hoje é a mais conhecida.

Blockchain?

As criptomoedas são executadas em um livro contábil público  chamado blockchain, um registro de todas as transações atualizadas e mantidas pelos detentores das moedas.

Unidades de criptomoedas são criadas por meio de um processo chamado mineração, que envolve o uso de potência de computação para resolver problemas matemáticos complicados que geram moedas. Os usuários também podem comprar moedas com as corretoras, depois guardá-las e usá-las usando carteiras criptográficas.

O auge e a queda das criptomoedas

As criptomoedas caíram no conhecimento popular e viraram “a galinha dos ovos de ouro” de muitos investidores com perfil alto de risco.

O bitcoin chegou a valer US$ 67.665 na máxima histórica, em 8 de novembro de 2021. Desde então, perdeu 68,6% do valor.

A queda expressiva no valuation de ativos cripto em 2022 pode significar uma desaceleração gradual no número de investidores, além  de uma liquidação de ativos  e o posterior retorno do crescimento. 

É claro, o mercado de cripto ativos não vai se recuperar enquanto o ambiente macroeconômico continuar fraco. E enquanto não houver queda na taxa de inflação, e consequentemente uma queda nos juros, vários meses dolorosos para ativos de risco podem vir por aí.

Para além disso, a China ainda está tentando manter sua política de “covid zero”, bloqueando suas zonas econômicas mais importantes, enfrentando uma grande escassez de combustível e de trigo devido à guerra na Ucrânia. 

Apesar dos temores de uma longa recessão, o jogo pode ter começado a virar. Pois qualquer capital de investimento é assim: há quedas, e altas.

Por enquanto, o bitcoin está em queda de quase 60% em relação à sua máxima histórica, e a julgar pelas tendências de queda anteriores, ainda poderá cair um pouco mais antes de atingir seu ponto mais baixo, mas esse tipo de volatilidade já aconteceu muitas vezes na história das criptomoedas e foi justamente a alternância entre altos e baixos que atrai os investidores.

O que os dados da Similarweb nos dizem sobre cripto ativos?

A nível mundial, podemos notar que no comparativo de período, a procura da audiência por informações sobre cripto ativos teve uma queda de 44,42%. A instabilidade gerada pelo “crash do mercado cripto” pode ter sido um dos fatores responsáveis por esta redução de tráfego.

E no cenário brasileiro, verificamos uma situação bem parecida com o cenário mundial: no mesmo período de análise contabilizamos  38,26% de queda.

Ainda em nível Brasil, no que se refere aos principais ativos criptos (Bitcoin, Ethereum, Binance Coin, Cardano e Tether), o Bitcoin é disparada o mais procurado deles. Podemos analisar em detalhes quais domínios estão recebendo este tráfego, assim como o comportamento da audiência ao acessar os domínios, quais páginas recebem mais acessos. 

Mais informações aqui.

Comparando o Bitcoin, com a procura por NFT (non-fungible token, ou token não fungível), criptomoeda bastante popular, vemos que ainda assim o Bitcoin está cativando mais o interesse do público. Com a Similarweb é possível verificar os termos de busca que mais geram tráfego na internet e quais empresas estão recebendo este tráfego. Clique aqui para mais informações sobre.

O mercado de cripto ativos está sempre mudando e a Similarweb continuará acompanhando para te manter atualizado!

Quer saber mais sobre esse e outros assuntos do mundo digital? Continue acompanhando nosso blog e me procure no e-mail: mariana.vigano@similarweb.com

Até logo 🙂

This post is subject to Similarweb legal notices and disclaimers.

Quer saber o que a Similarweb pode fazer por você?

Veja aqui duas maneiras pelas quais você pode começar a usar a Similarweb hoje!